coisas que me fazem pensar que as pessoas são cada vez menos o que nós pensamos que são

uma amiga andava muito interessada num garoto, andava com borboletas na barriga, cafézinho prá frente, cafézinho para trás, troca de mensagens, etc. Ela andava muito entusiasmada, e este estado já durava há mais tempo do que o desejável sem qualquer desenlace.

Uma noite o garoto enviou-lhe uma mensagem, disse que tinha bebido e que se sentia com coragem para lhe contar algo que já devia ter contado. Lá vai ela, doida, pega na miúda, pega na mala, siga para o café. E em chegando lá, ele conta-lhe de lágrimas nos olhos, que estava muito interessado na amiga dela, se ela intercedia por ele junto da mesma, que sofria por ela, que sonhava em poder aproximar-se, em beijá-la, enfim , um terror.

E pronto, é isto, a vida é um engano cego, onde nós vemos coisas que não existem, coisas que nós gostávamos muito que existissem. 

Passou-lhe o tesão em 3 minutos e 5 horas de choro.

2 comentários:

clara disse...

Granda galo, mas eu conheço uma história parecida, mas com um desfecho ainda mais surpreendente. Neste caso, o gajo enche-se de coragem e convida-a para um fim de semana fora, porque tem algo para lhe contar. A miúda mune-se da sua melhor lingerie, de preservativos e etc, e, afinal, o gajo achava que já era tempo de lhe contar, era gay. :/

a_secretária disse...

clara, ainda assim, estamos a falar de outra liga :). Não querendo medir dores, esta situação parece mais lixada, até porque ela vai ter de conviver com os dois...