Sempre o mesmo

Acabo sempre a chatear-me com a minha mãe depois de ela exagerar no vinho (facto que só acontece no natal), encarnar um personagem parecido com o meu tio (que é ex-alcoólico e irmão dela), começando por ela não ficar calada sempre que dou as minhas prendas e, apesar de lhe dar sempre primeiro a dela, não consegue por um travão no cérebro que a impeça de estar constantemente a dar bitaites sobre as prendas dos outros com aquele olhar esgazeado de bêbado sem açaime, tornando-se inconveniente e mal educada, tão diferente da pessoa normal que dá a conhecer. Acabo por lhe dar uns berros, choro na casa de banho e quando saio já ela está a dormitar no sofá. Por falar em sofá, foi a 1a palavra que a minha filha conseguiu ler.

Sem comentários: