Pedro Tamen (parabéns)

o que me sobra: febra
ardendo em febre sobre a brasa,
estorricada sola que se quebra
se dente, qual um pé, nela se casa;

febra na brasa, sim, em fim de festa,
quando o lume se apaga, tosse e esfria,
em fim tão fim que não se leva desta
mais que fumo e odor ao que soía

ser do que eu fora uma solar comida,
e não febra da porca desta vida.
 
(Memória Indescritível, 2000)

Sem comentários: